2011/02/07

Mais um degrau

Sim, continuo, irmão.

Neste grito de mim para mim, contigo a ouvir-me, paciente e assustado com a crueza das expressões e violências verdadeiras. Sim, continuarei nesta conversa escutada por tantos quantos comigo gritarem.

Bem hajas irmão deste novo despertar que em obsoleto transformas os modelos de série e de consumo.

Desperta, abre os olhos comigo. O mesmo esperarei de ti. Que me chames quando sentires que adormeci.

Não quero mais a dormência instalada dos povos assustados, quero terras e mentes cultivadas por desejos e vontades de ser mais neste ser, organismo uno partilhado.

Respiramos sonhos de mudança, acordamos desejos e voamos em asas meias com tantos outros que não sabem que com eles pairamos sobre a quietude do imobilismo dominante e conformado.

Dá-me a mão. Subamos juntos os degraus de Jacob.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home