2008/04/16

Paradigmas



Somos eternos construtores de mutantes paradigmas. Crescemos, aprendemos, mudamos, melhoramos. Em todos os momentos da nossa vida constatamos esta dinâmica. Evitá-la é acomodarmo-nos num cansaço que nos engole e nos suga a energia. A vida é viva, cansa-nos, entristece-nos, bloqueia-nos por vezes, mas a reacção natural é descansar, prosseguir, levantarmo-nos, subir, ultrapassar, ir mais alto, sempre. Nem que seja um milímetro.

Esta é a dinâmica que faz sentido a uma vida que parece ter de ter sentido para ser vivida. Não seguir esta corrente, ficar na margem a observá-la, traz normalmente ainda mais sofrimento. As paragens são necessárias, as pausas, as tristezas, os descansos são naturais - continuar, tentar, melhorar, experimentar, observar e aprender é ainda mais natural - se algo o pode ser.

Nesta dinâmica de aprendizagem e crescimento vamos construindo os nossos degraus, as nossas convicções e os nossos paradigmas. Mas estes, tal como nós, não são imutáveis. Adaptamo-los a este nosso ser que somos, numa linha condutora de crescimento, de luz, de paz e de amor.

Podemos mudar !

"Nada é permanente, salvo a mudança."
Heráclito

---

do Lat. paradigma < Gr. parádeigma, modelo - s. m., modelo; norma; exemplo; padrão; tipo de conjugação ou declinação gramatical.

---


7 Comments:

Anonymous Diana said...

Mário ao ler este teu texto, a primeira palavra que aflorou no meu pensamento foi "FÉ". Fé em que toda a impermanência, também, resulta da procura de "sentido" na Vida que no final é sempre sentir a nossa humanidade, sem a recear.
Recentemente ofereceram-me um pequeno / grande livro intitulado "FÉ - Palavras e Inspirações de Desmond Tutu", no prefácio ele refere o conceito de "ubuntu" que insere um significado muito rico, mas que podemos resumir como "Sou humano porque pertenço" ou "somos porque os outros são" ou ainda " a minha humanidade é indestrinçável dos outros".
Crescemos, mudamos, evoluimos em busca da nossa humanidade mais elevada e sim, melhoramos sempre um pouco. Uns com pequenos passos, outros de forma gigantesca, e isto é uma Verdade incontestável. O teu, o nosso paradigma.

quinta-feira, abril 17, 2008 10:41:00 da manhã  
Blogger Mário Rui Santos said...

Penso, logo existo. Existo, sou e pertenço em união. Em união, mudo, adapto e cresço.

quinta-feira, abril 17, 2008 7:23:00 da tarde  
Anonymous t.c. said...

É sempre possível mudar, na continuidade ou na ruptura ;) abrç

sexta-feira, abril 18, 2008 10:55:00 da manhã  
Anonymous josé barbosa said...

sem comentários

sexta-feira, abril 18, 2008 12:40:00 da tarde  
Anonymous jorge a. said...

E o que se pode dizer a alguém que repetidamente nos diz que está bem como está ou que já tarde para mudar ?

sexta-feira, abril 18, 2008 12:57:00 da tarde  
Blogger Maria Leonor said...

Talvez como imagem,uma escada em espiral.Estrutura entre Céu e Terra,com patamares de observação das Estrelas.E,na dimensão do infinito SOLTAR a verdade criativa e impulsionadora da Subida/Vida.

Formatados,somos esculturas abertas à erosão...prisões...

E na liberdade solto :) e um abraço

sexta-feira, abril 18, 2008 6:38:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

Esculturas abertas à erosão e à sedimentação...obras vivas ;) abraço

domingo, abril 27, 2008 5:48:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home