2010/03/19

Para o meu pai terreno...

Pai nosso, que estais nos Céus, Mares e Terras,
Amado seja o Vosso nome.
Viva em nós o Vosso reino.
Nos ilumine a Vossa vontade, Assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos ensinai hoje,
a fazer e partilhar.
Aceitai as nossas ofensas, assim como nós aceitamos a ignorância de quem nos tem ofendido.
Acompanhai-nos na Criação, Mas entregai-nos ao Bem.
Ámen.

4 Comments:

Blogger M. L. said...

Posso não ter entendido esse pai terreno muitas e muitas vezes, mas não é importante pois muitas mais vezes eu não me fiz entender, e foi de "desatendimentos" que se fez o caminho para o mútuo entendimento...

sábado, março 20, 2010 6:08:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

Sim, ML penso que a aspiração ao entendimento e compreensão permanentes é um direito que temos, mas até lá vamos gerindo/processando os nossos (e os de outros) "desentendimentos" mais ou menos provisórios.

quinta-feira, março 25, 2010 11:58:00 da manhã  
Blogger M. L. said...

Muitos desentendimentos são construções de desatendimentos que mais tarde são aceites e agradecidos... Abraço

segunda-feira, março 29, 2010 5:55:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

Do desentendimento nasce a luz?

segunda-feira, março 29, 2010 7:16:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home