2006/09/14

Os inertes

Gostamos de acreditar nas pessoas, apostar ou investir nelas - seja tempo, conversa, energia ou afectos, etc.. o que for.

E fazemos isso quando achamos que vale a pena - mesmo que alguém nos chame a atenção ou questione a nossa decisão, mantemo-nos determinados porque acreditamos nas nossas escolhas.

E tanto acertamos como não acertamos. É natural. Faz parte da vida. Quando não acertamos, por vezes estagnamos ou gastamos o nosso saldo de investimento até à última em determinada pessoa ou pessoas.
Essas pessoas são os "inertes". São elementos de aparente boa vontade mas que genuina e verdadeiramente não agem, não sintonizam, não crescem connosco.
Mantêm-se "inertes"....

Temos de perceber isso o mais atempadamente possível.
Devemos confiar, é certo.
Mas se os sinais que se recebe por vezes não são nesse sentido, então talvez valha a pena ponderar em vez de teimar...e depois logo se verá.

Paragem, ponderação, reflexão, adaptação, mudança...são normalmente respostas inteligentes a estas situações.

11 Comments:

Blogger JASG said...

"Ao querermos, enganamo-nos muitas vezes. Mas quando nunca queremos, enganamo-nos sempre."

Romain Rolland

quinta-feira, setembro 14, 2006 1:08:00 da manhã  
Blogger Mário Rui Santos said...

exactamente, meu caro

quinta-feira, setembro 14, 2006 8:21:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Ora aqui está algo que muitas pessoas precisavam de lêr. Espero que essas pessoas em quem estou a pensar... decidam visitar este cantinho para poderem mergulhar nestas tuas palavras. Espero mesmo.Só as ia ajudar a perceber o caminho...
Obrigada pela partilha.

Para ti um ABRAÇO não inerte mas sim FLUÍDO...

quinta-feira, setembro 14, 2006 11:47:00 da manhã  
Blogger Xicha said...

Eu estou a tentar, estou a tentar , se eu for inerte ajudem-me por favor . Tenho os meus momentos menos bons isso é verdade mas quem os não tem, seria bom era controla-los um pouco mais (vou conseguir um dia), sendo eu do signo de carneiro acho difícil mas.....

Uma vez uma amiga disse-me: tu andas á velocidade da Luz não é fácil acompanhar-te. E não é que eu fiquei a pensar naquilo.....
Xi

quinta-feira, setembro 14, 2006 1:18:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

OK X se te sentirmos "inerte" avisamos ;)

quinta-feira, setembro 14, 2006 2:39:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não gosto da inércia, gosto da mudança, de coisas novas, de a cada dia sentir que a vida muda e que conheço alguém ou algo de novo...e quando faço más escolhas, desiludo-me mas cresço...mudo!

sexta-feira, setembro 15, 2006 10:48:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

parece-me uma boa escolha Alice

segunda-feira, setembro 18, 2006 6:12:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O problema é que às vezes os sentimentos que perduram e não são exteriorizados formam um novelo no peito dificil de desenrolar e o nosso crescimento fica limitado.

segunda-feira, setembro 18, 2006 9:57:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

"difícil de desenrolar" é diferente de "impossível de desenrolar" ;)

terça-feira, setembro 19, 2006 10:39:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

É, o dificil acontece...o impossivel demora um pouco mais.

terça-feira, setembro 19, 2006 11:09:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

Gostei dessa :)

quarta-feira, setembro 20, 2006 8:57:00 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home