2008/01/14

Intenções positivas


Muitos de nós tendem a ter comportamentos estranhos, por vezes pouco ou nada saudáveis, pouco ou nada equilibrantes, pouco ou nada funcionais...Surgem na nossa vida sem percebermos bem quando, como ou porquê. Mas são normalmente consequências de estratégias nossas de sobrevivência, respostas que nos levam a lidar com situações de alguma forma perturbadoras ou de mudança.

Desde o simples roer de unhas ao mais complexo arrancar de cabelos, desde o "simples" fumar ao comer compulsivamente ou desde o simples ranger de dentes aos ataques de ira frequentes, etc. etc. São estratégias e técnicas por nós implementadas , de forma inconsciente mas - por muito estranho que pareça - de forma protectora.

Possuímos directivas interiores de auto-preservação muito fortes, e é bom que nos lembremos disso. Mesmo quando a nossa auto-estima está de rastos e fazemos algo em conformidade, tudo aquilo que nesse momento possa surgir na nossa mente é num sentido de atenuar sofrimento.

O grande senão deste mecanismo é que nesses momentos nem sempre aquilo que nos surge como estratégia redutora de sofrimento é a melhor estratégia, mas a intenção positiva está lá.

Assim, se em algum momento da nossa vida chegamos à conclusão de que um determinado comportamento da nossa parte nos afecta - ao nosso equilíbrio, à nossa saúde e bem-estar - como bons negociadores e diplomatas interiores que todos sabemos ser, deveremos assumir em primeiro lugar uma gratidão para com essa parte.
Mesmo que nos soe como estranha gratidão (principalmente se aquele comportamento nos começou a causar mais sofrimento do que alívio), este é o primeiro grande passo para a mudança interior.

Ensinar-nos-emos a nós próprios, e connosco aprenderemos, a lidar com aquelas situações de uma forma mais saudável e equilibrada. E muito provavelmente, adquiriremos um comportamento também mais saudável.

(in "O livro das virtudes construídas" - Mário Rui Santos )

---
"Quer você pense que pode ou não fazer algo, você está certo."
Henry Ford

---

9 Comments:

Anonymous Diana said...

Tens razão! Agimos sempre com a intenção positiva de nos ajudar, por mais paradoxal que pareça o comportamento. Quando tomamos consciência que o que obtemos tem um saldo negativo, surge a necessidade de mudança. Mas, leva tempo... e é muito bom quando encontramos no caminho pessoas que nos trazem luz e nos fazem dar um "clic mágico"!
It's nice... so good!
Este é um daqueles momentos em que "I feel good"...
Obrigada!

segunda-feira, janeiro 14, 2008 4:25:00 da tarde  
Anonymous carlos do rosário said...

Também me faz sentido até porque acredito que por muito distraído que eu ande comigo próprio ou em relação a mim, aquilo que eu faço terá sempre uma utilidade, caso contrário não o faria.
Compreendo que admitir essa utilidade seja um passo importante para a mudança e encontrarmos outras formas mais saudáveis de cumprirmos essa utilidade.
Abraço

segunda-feira, janeiro 14, 2008 4:54:00 da tarde  
Anonymous t.c. said...

Oh MR olha que isso de ver a intenção positiva nas coisas estúpidas que faço não é lá muito fácil. A mim parece-me que tem de se ginasticar alguma coisa antes.

segunda-feira, janeiro 14, 2008 6:41:00 da tarde  
Anonymous fernanda said...

Como a TC escreve não te parece que tenhamos de "ginasticar" (gosto da expressão :) algo antes de reconhecermos estas intenções positivas ?

terça-feira, janeiro 15, 2008 11:40:00 da manhã  
Anonymous rosa said...

Hmm na sei…. Talvez roer as unhas ainda é mais saudável do que dar um soco em alguém (considerando as possíveis consequências)….nesta altura ando a roer muito as unhas, e agradeço muito ao meu corpito de aguentar com esta tortura porque sempre evita um processo legal ;)

terça-feira, janeiro 15, 2008 7:55:00 da tarde  
Blogger PaulaNog said...

Enviei este teu texto a uma amiga minha: http://www.pzcnation.blogspot.com/
que precisa muito de ajuda.

Espero ter transmitido AQUILO que ela está a precisar de ouvir.

Eu adorei o teu texto!
ÉS FANTÁSTICO!

Bjs carinhosos,
Paula

quarta-feira, janeiro 16, 2008 11:52:00 da manhã  
Blogger Mário Rui Santos said...

É por vezes difícil acreditar nas intenções positivas de alguns destes nossos estranhos comportamentos.
Mas...nós somos também sobreviventes. Sobrevivemos a muitas situações, problemas, dificuldades e coisas boas.
Espontânea e inconscientemente fomos construindo as nossas próprias estratégias de sobrevivência.
Não quer isto no entanto dizer que essas sejam as melhores estratégias, apenas as que conseguimos construir em função das circunstâncias.
Assim, não as reneguemos aceitemo-las e modifiquemo-las.

quarta-feira, janeiro 23, 2008 11:42:00 da manhã  
Blogger Xicha said...

Eu comecei pelo agradecimento e resultou muito bem
ABRAÇO
XI

quarta-feira, janeiro 23, 2008 12:56:00 da tarde  
Blogger Mário Rui Santos said...

Acredito Xi, é um dos melhores começos.

quinta-feira, janeiro 24, 2008 12:10:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home