2007/07/23

A caixa de ferramentas

Nasci com uma caixa de ferramentas para a vida, quase vazia. Demorei muito tempo a perceber o que era importante ter, para viver feliz e sem acidentes de trabalho.
Errei muito, martelei muitas vezes no dedo e serrei muito para além do traçado. Sangrei, tirei falhas, aparafusei quando devia ter colado, colei quando devia ter aparafusado. Agrafei e fechei quando devia ter apenas dobrado. E dobrei quando devia ter agrafado.
Hoje, olho para a minha caixa de ferramentas com um orgulho especial. O orgulho de um feliz e grato sobrevivente, que foi encontrando as ferramentas necessárias e por vezes até mesmo construindo as suas próprias.
E porque tenho tanto orgulho nelas, porque me fazem tanto e tão bom sentido, todos os dias tento partilhar o conteúdo desta minha caixa com quem vai criando ou criou a sua própria caixa de ferramentas. Porque nesse processo de partilha cresço e ajudo a crescer.
Tenho vindo a fazer um balanço daquilo que tenho hoje em dia na minha caixa de ferramentas e pensei que hoje seria um dia tão bom como qualquer outro para a contemplar e partilhar convosco, não me perguntem porquê, aconteceu...se calhar para vos convidar a pensar na vossa caixa, ou convidar a pensar que não têm propriamente uma caixa e têm algo bem mais interessante.

Por isso, aqui vos apresento a minha caixa:

Observação - a capacidade de me observar e compreender, ou construir teses explicativas, sobre o que faço, como ajo e reajo. De observar os meus pensamentos, reconhecê-los, tranquilizá-los ou materializá-los.

Criação - a capacidade de criar dinâmicas mentais compostas por pensamentos, imagens, símbolos, metáforas e diálogos interiores que me ajudam a gerir de forma harmoniosa e natural esta minha existência consciente e não consciente.

Gratidão - a capacidade de agradecer, e de me lembrar de agradecer, o que tenho sido, conseguido, resolvido, crescido. Tudo aquilo que me aconteceu, de bom ou menos bom, aconteceu com um fim. O fim de aprender, de me tornar melhor, de crescer, de me tornar mais forte, mais tolerante, mais compassivo, mais humano.

Perdão - a capacidade de perdoar os outros e a mim próprio. Porque sei que os homens crescem, como eu me sinto a crescer, e que nesse crescimento também erram como eu errei e erro. Porque sei que a energia do perdão é libertadora e criadora. Porque sei que mesmo para aqueles que clamam castigo a outrém, o perdão é o maior dos castigos impostos. E depois se libertam e preenchem aquele espaço anteriormente vazio de luz e substância criadora numa autêntica incubadora de energia vital e transformadora para o bem.

Compaixão - a capacidade de conseguir entender o bem que existe nos outros e em nós próprios. Porque com essa perspectiva de compreensão nos conseguimos desprender de um ego incomodado e assim analisar, entender e agir de forma mais construtiva e dinâmica. Não calando, mas comunicando e agindo de forma mais justa, equilibrada e positiva.

Comunicação - a capacidade de comunicar comigo e com os outros de uma forma assertiva, calma, tranquila e frontal. Como se pensasse alto comigo ou com o alguém que está à minha frente. Porque esta comunicação nos leva a não estarmos silenciosos e em repressão de sentimentos. Porque esta comunicação nos leva a entendermo-nos melhor uns aos outros, nos leva a perceber que também erramos e que os outros por vezes erram sem o perceber. Porque desta forma respiramos melhor, nos sentimos mais leves e felizes.

Respeito - a capacidade de respeitar o espaço, os desejos e os paradigmas de felicidade ou conforto dos outros e de mim. Numa dinâmica de dualidade e equilíbrio entre a felicidade individual e a felicidade do sistema que a envolve e a faz consolidar-se.

Sonho - a capacidade de criar sempre bons e melhores cenários de felicidade individual e do sistema em que vivo e cresço. Não felizes para sempre, mas sempre mais felizes.

Confiança - a capacidade de acreditar que as nossas capacidades são limitadas mas, mais importante que isso, a capacidade de acreditar que uma vez lançada uma estrela ela irá ocupar o seu lugar no céu. A capacidade de acreditar que não vamos precisar de estar ao lado de uma onda para saber que ela chega à praia. A capacidade de acreditar que quando uma árvore crescer as suas folhas serão verdes. A capacidade de entender que apenas podemos regar o chão e preparar o terreno e confiar que o Sol nasce, sem precisarmos de confirmar a alvorada com os nossos próprios olhos.

Questão - a capacidade de acreditar que os meus paradigmas, as minhas ferramentas, os meus sonhos e os meus recursos se forem questionados por mim ou por outros, poderão mudar ou ser reforçados...e finalmente pensar que na minha caixa de ferramentas ainda haverão algumas transformações.

---
"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento."
Platão

8 Comments:

Anonymous jorge a. said...

obrigado pela dica, acho que vou revisitar a minha e tirar algum pó que se instalou ;)

segunda-feira, julho 23, 2007 7:17:00 da tarde  
Blogger PaulaNog said...

Realmente não existem melhores ferramentas que essas para a vida... Há até quem ainda peça um manual de instrução... mas esse não existe.... A vida é para ser viviva de modo sempre diferente, assim como todos nós somo: UNICOS!!!
Com carinho****

segunda-feira, julho 23, 2007 8:31:00 da tarde  
Anonymous fernanda said...

É como dizes, se calhar temos outras formas ou nomes para chamar a esta "caixa de ferramentas". Eu cá gosto de lhes chamar princípios ou valores, mas muitos são parecidos com os da tua "caixa". Abraço :)

terça-feira, julho 24, 2007 10:02:00 da manhã  
Anonymous t.c. said...

Faz sentido isto das ferramentas, aliás como já tinhas referido no workshop cada um tem o seu nome para este portfolio - continuação de bom trabalho

terça-feira, julho 24, 2007 1:24:00 da tarde  
Blogger SA said...

adorei ler este teu post... pareces ser uma pessoa com os alicerces bem fixos. parabéns por teres atingido esses degraus que nem todos conseguem, beijinhos :)

terça-feira, julho 24, 2007 8:32:00 da tarde  
Anonymous rusa said...

a vida é um processo de crescimento ;) e se temos momentos em que damos saltos evolutivos incríveis, outros há em que parece que afinal não aprendemos nada porque nos apanhamos a fazer os mesmos erros, again and again.
Há momentos em que pomos em causa tudo.
Mas é nesses momentos em que temos amigos com caixas bem apetrechadas, que nos ajudam a rever os nossos sentimentos e pensamentos.
Com a certeza porém que hav erá o dia em que somos nós, com a nossa caixa outra vez organizada, que vamos ajudar esse mesmo amigo num momento de crise. E vamos repetir-lhe as palavras que ele próprio nos disse uns tempos atrás :) De facto, a nossa caixa de ferramentas está em constante mutação. Hoje as ferramentas podem ser de aço amanhã de borracha.
Que as estrelas e os anjos te guiem, amigo.

quarta-feira, julho 25, 2007 11:29:00 da manhã  
Blogger Mário Rui Santos said...

obrigado pela vossa tolerância, paciência e compreensão desta minha partilha - obrigado pelos vossos comentários e leituras e que os anjos, os deuses, os guias, a força, a luz, o universo e a energia nos continuem a acompanhar cada vez mais a todos :) por cá e aqui continuarei eu também

quarta-feira, julho 25, 2007 1:46:00 da tarde  
Anonymous gato vadio said...

Esta ideia da caixa de ferramentas acordou uns quantos neurónios que andam de sonos trocados.. É que há uma certa caixa.. Acho que tenho andado à volta dela.. Afinal não vou comentar.. Mas vou tentar organizar uma certa caixa..

quinta-feira, julho 26, 2007 2:31:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home