2007/07/05

Entre o silêncio e o grito

Entre o silêncio e o grito há uma distância de mil universos. Uma distância que por vezes se percorre em silêncio porque não se admitem paragens ou mudanças de direcção, para falar, conversar - com os outros ou connosco mesmos.
É um 8 ou 80 de emoções, mas não de sensações ou sentimentos.
É um acumular natural de energias que se depositam no nosso ser e nos rogam que abramos a janela, porque se não o fizermos elas a arrombam.
Entre o silêncio e o grito há o sorriso, a calma e o respeito, a tranquilidade e a frontalidade, mas também o pensar alto e o partilhar.
Se não quiseres gritar, não fiques em silêncio.

6 Comments:

Anonymous jorge a. said...

É verdade que entre o silêncio e o grito há uma grande distância e um grande leque de escolhas, mas quando as exerço sinto as pessoas a olharem para mim como um extraterrestre. Porque lhes digo a verdade de uma forma calma e tranquila, ou aquilo que penso ser a verdade. E dou-lhes espaço para discordarem de mim, porque sei que às vezes também não tenho razão. Mas mesmo assim, sinto-me um extraterrestre por fazer isso...

sexta-feira, julho 06, 2007 2:52:00 da manhã  
Anonymous t.c. said...

Concordo MR, e também assim vejo as coisas - mas o que me parece é que às vezes certas pessoas só nos ouvem quando gritamos...

sexta-feira, julho 06, 2007 10:16:00 da manhã  
Anonymous natacha said...

entre o silêncio e o grito pairam as inúmeras possibilidades de um abraço comunicacional.
fica bem

sexta-feira, julho 06, 2007 11:20:00 da tarde  
Anonymous fernanda said...

O que sinto é que para agir entre o silêncio e o grito tenho de informar as pessoas com quem lido, que há mesmo vida para além do silêncio e do grito.
E que muitas vezes o silêncio é um grito adiado e o grito um silêncio deslocado.

domingo, julho 08, 2007 2:29:00 da tarde  
Anonymous gato vadio said...

Grita-se quando já não se pode esperar mais para acordar alguém que não se sente, ou quando se está muito assustado. Cala-se quando o medo a tristeza ou a indiferença nos tiram a voz.
Depois temos os dias em que amiúde dormimos bem, comemos bem e rimos e abraçamos alguém. Nesses conseguimos sempre dizer e ouvir melhor..

terça-feira, julho 10, 2007 1:04:00 da manhã  
Anonymous isabel said...

parece haver sempre uma voz dentro de mim a dizer "deixa lá, não vale a pena chateares-te com isso" - mas a verdade é que vale sempre a pena, até porque "chateada" fico se não disser nada - mas às vezes esqueço-me disso

quinta-feira, julho 12, 2007 11:58:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home